Diga não as novas regras do ICMS

Se você quer comprar na internet sem aumento de preço e demora na entrega, manifeste sua indignação com as novas regras do ICMS. Conheça como a insaciável gana por arrecadação e burocracia do Governo está afetando o e-commerce brasileiro.

A partir do dia 01/01/2016 os governos estaduais alteraram a tributação e a forma de arrecadação do imposto ICMS (Convênio ICMS 87/2015), que impactaram diretamente nos prazos e nos custos de todas as lojas virtuais. Os detalhes podem ser vistos aqui, aqui e aqui (reportagem do Jornal Nacional – TV Globo).

É um golpe forte e que inviabilizará diversas operações, principalmente as menores, como já começou a acontecer.

Diante desta situação, pensando em ajudar os gestores de loja virtual, o E-commerce Brasil preparou uma campanha para envolver a população e trazer todos para o centro da discussão. Você pode conferir a campanha aqui.

Esse post da Bertholdo foi inspirado pela iniciativa do E-commerce Brasil e também pela nossa convicção do absurdo das novas regras e o impacto cruel que terão sobre os negócios de nossos clientes. Acreditamos que a mobilização é a única forma de lutar contra medidas absurdas do Governo.

Na prática, essas novas regras tornam os prazos de entrega mais longos devido ao aumento da burocracia necessária para expedir os pedidos. Antes era necessário realizar 5 tarefas por pedido, agora são 12. Elas estão perfeitamente detalhadas no artigo do gestor de e-commerce, Igor Gaelzer, aqui.

Além disso, os preços dos produtos vão subir. Com impostos mais altos e a necessidade de novas contratações para realizar estas novas tarefas, os lojistas serão obrigados a repassar estes custos adicionais aos clientes. Caso contrário terão que encerrar suas operações e deixar de atender.

regrasicms

Diante disso, precisamos da sua ajuda e você pode fazer das seguintes maneiras:

– Encaminhar esta mensagem para seus amigos, deixando todos a par deste novo golpe baixo do Governo.

– Mandar um e-mail para o Governador de seu estado pedindo ajustes imediatos nesta Lei. O e-mail de cada um pode ser visto aqui.

– Assinar esta petição aqui.

– Compartilhar este documento nas redes sociais: Linkedin, Facebook, Twitter.

Agradecemos pela ajuda.

5/5 - (1 avaliações)

Conteúdos relacionados

Rolar para cima