Por que algumas empresas alcançam o sucesso e outras não? Em muitos casos, a resposta é a contabilidade. A atividade de identificar, registrar, medir e comunicar as informações financeiras do negócio é fundamental para tomar as melhores decisões. Não é diferente quando falamos em contabilidade para e-commerce.

A contabilidade ajuda sua loja a pagar legalmente menos impostos, a manter dinheiro em caixa para pagar dívidas e obrigações, e a orientar decisões em compras e investimentos. Confira estas dicas básicas e entenda quais são os passos da contabilidade para e-commerce.

Saiba como é a contabilidade para e-commerce

Passo a passo da contabilidade para e-commerce

1. Tenha um CNPJ

É possível vender pela internet como pessoa física, mas isso só é recomendável para quem está fazendo um bota-fora e vai vender objetos no Facebook ou em um site de leilões. Um e-commerce profissional precisa de um CNPJ.

Para a maioria dos empreendedores que estão começando, essa empresa será Microempreendedor Individual (MEI) ou optante do Simples Nacional. A primeira opção é para faturamentos de até R$ 81.000,00 por ano (em média, até R$ 6.750 mensais). Já a segunda abrange faturamentos de até R$ 4,8 milhões por ano (em média, até R$ 400.000 por mês).

Uma vez com CNPJ em mãos e regime tributário definido, o negócio precisa ser regularizado na prefeitura da sua cidade (no caso do MEI, não há necessidade de inscrição estadual). Com o registro, você poderá emitir notas fiscais, ter acesso a financiamentos com bancos, e poderá negociar compras melhores com seus fornecedores. Seu e-commerce também ganha credibilidade e pode até exibir o CNPJ no site.

2. Atualize as configurações de taxas

Sua loja virtual fica disponível para clientes do Brasil inteiro e de outros países, de forma que podem ser cobradas muitas taxas e alíquotas diferentes.

Um caso importante é do ICMS, que a partir de janeiro de 2019 será cobrado inteiramente no estado de origem do consumidor. Portanto, sua contabilidade deve estar configurada para recolher o imposto em todas as diferentes alíquotas possíveis, se quiser vender para o Brasil inteiro. O mesmo vale para fretes e potenciais taxas sobre exportação (neste caso, existe isenção do ICMS por causa da Lei Kandir).

3. Faça um diagnóstico da saúde financeira

Para a contabilidade para e-commerce ser útil, as informações com que ela trabalha precisam ser de qualidade. Mantenha registros organizados das informações sobre ordens de compra, notas fiscais, despesas fixas etc. e as disponha em uma planilha ou programa que permite sua visualização com bastante clareza.

Assim, você poderá fazer perguntas como: qual produto traz mais receita para a empresa? Com esse fluxo de caixa eu já posso contratar mais um funcionário? Tenho condições de pagar as parcelas de um empréstimo?

4. Planeje os pagamentos de obrigações

A falta de planejamento é um dos maiores responsáveis pelo fracasso de empresas não só no Brasil, como em todo o mundo.

A falta de dinheiro em caixa para pagar impostos, inclusive obrigações trabalhistas, rende juros e multas, que podem se acumular e agravar ainda mais a situação. Podendo, inclusive, levar à falência.

Como funciona a contabilidade para e-commerce

A contabilidade para e-commerce deve proteger seu negócio de prejuízos ao informar quando a empresa deve ter dinheiro em caixa e quanto, para ficar em dia com o Fisco. Com estas dicas em mãos e atenção à movimentação financeira, a contabilidade para e-commerce vai ajudar sua loja a se tornar um grande sucesso.

Gostou deste artigo sobre contabilidade para e-commerce? Então deixe um comentário neste post com sua dúvida ou sugestão de pauta para nosso blog.

(Visited 87 times, 1 visits today)