Você sabia que, no Brasil, mais de 30% das lojas virtuais fecham antes de completar 2 anos? Isso ocorre por erros fatais do e-commerce e você precisa saber como corrigir esses problemas.

Hoje, vamos falar sobre essas questões que já acabaram com os sonhos de muitos lojistas e empreendedores. Mas não fique preocupado, também vou dar sugestões de como resolver cada um desses problemas!

promocoes-kime-criando-oportunidades

Realmente é mais fácil montar uma loja virtual?

Abrir uma loja virtual tornou-se uma das maneiras mais fáceis de ter o seu próprio negócio. Muitas pessoas apostam nesse mercado para gerar renda extra, como alternativa ao desemprego ou para expandir um negócio existente.

Aparentemente, montar um negócio virtual é bem mais fácil do que abrir um estabelecimento físico. Alguns empreendedores montam seu e-commerce utilizando plataformas gratuitas e, até mesmo, sem estoque de produtos. Isso torna o investimento inicial muito baixo, quase sem barreiras de entrada.

Algo muito tentador, não é mesmo? Principalmente para quem sempre sonhou em ter seu próprio empreendimento.

Prova disso é que o número de lojas virtuais no Brasil cresceu 21,5% em 2015. Essa tendência foi apontada pela 2ª edição da pesquisa “Perfil do E-commerce Brasileiro”, realizada pela BigData Corp em parceria com o PayPal. O estudo ainda mostrou que temos mais de 370 mil lojas virtuais no Brasil.

Segundo a Agência SEBRAE de Notícias, 58% das lojas virtuais brasileiras começaram suas atividades no e-commerce em 2013. O levantamento também detectou que 53% das empresas que vendem online não possuem loja física.

Realmente trata-se um crescimento muito acelerado e recente!

Porém, o grande desafio não está em montar uma loja virtual, mas sim em manter o negócio funcionando e com crescimento sustentável.

Mortalidade no e-commerce: a facilidade que vira armadilha?

Os números expressivos de crescimento do setor escondem uma realidade bastante cruel e pouco falada nos conteúdos voltados para a área.

No Brasil, de acordo com estudo da Câmara e-net, um terço das empresas de e-commerce fecha (ou quebra) antes de completar dois anos. Essa taxa de mortalidade é bastante alta. Para critério de comparação, entre as empresas físicas, 24% fecham em até dois anos, segundo o Sebrae. Ou seja, a mortalidade no e-commerce é maior.

erros fatais do e-commerce

Infelizmente, temos poucos estudos sobre mortalidade no e-commerce. Em reportagem publicada pelo portal R7, há dois anos, a BigData Corp. apresentou estudo demonstrando que o tempo médio de vida das lojas virtuais brasileiras é de apenas três meses. Mesmo sendo uma informação antiga, o número é assustador. Imagine seu sonho durando apenas três meses?

Na minha experiência de muitos anos no mercado digital, já vi essa história acontecer várias vezes. Digo isso com muita tristeza, pois ver um negócio com alto potencial fracassar é péssimo. Por essas e outras, acredito que os números acima refletem a realidade.

Mas vamos em frente! Se você já tem uma loja virtual, planeja montar uma, ou quer apenas saber por que tantos negócios online quebram, veja os erros fatais do e-commerce que levam ao fechamento de muitas lojas.

Você precisa estar atento aos erros fatais do e-commerce, pois quando erramos, há sempre uma lição para ser aprendida. E aí vem uma pergunta: é possível aprender com as falhas cometidas por outros empreendedores?

Vou explicar os cinco erros fatais do e-commerce e como escapar deles. Não adianta conhecer o problema e não saber como resolvê-lo. E, sim, podemos aprender estudando as falhas alheias.

1. Loja virtual com visual amador

Tenho certeza que muitas lojas virtuais teriam mais sucesso (e vida mais longa) se utilizassem um layout profissional e adequado ao seu público.

Consumidores online (também conhecidos como e-consumidores) estão sempre pesquisando por produtos, promoções e novas oportunidades de compra. Eventualmente, encontram lojas virtuais desconhecidas que oferecem o produto desejado.

Nesse momento, o e-consumidor enfrenta o primeiro dilema: devo comprar nessa loja? Ela é confiável?

A decisão de ficar ou procurar por outro e-commerce leva apenas alguns segundos. Consumidores online, em geral, são impacientes e não querem perder tempo com uma loja virtual inadequada. Afinal, pode existir um concorrente mais confiável e preparado para atendê-lo.

Veja que esse processo de decisão é muito rápido e mostra, sobretudo, a primeira impressão que o seu e-commerce transmitiu ao usuário.

Por isso, é essencial que o contato inicial seja altamente positivo. A loja virtual precisa oferecer a melhor experiência e atendimento desde o primeiro momento. Do contrário, você pode perdê-lo definitivamente.

Nessa primeira inspeção visual, o e-consumidor pode avaliar diversos itens. Veja alguns dos principais:

  • O design da loja virtual é adequado?
  • O layout está de acordo com a imagem de um e-commerce profissional?
  • A loja virtual funciona corretamente no meu dispositivo mobile?
  • O design é poluído e confuso?
  • O visual da loja é feio ou desatualizado?
  • As fotos apresentadas possuem boa qualidade?
  • As descrições dos produtos são claras e completas?
  • O sistema de busca funciona corretamente?
  • Qual o endereço físico dessa loja?
  • Quais as formas de contato?

erros fatais do e-commerce

Já deu para perceber que muitas características da loja virtual podem complicar ou, até mesmo, inviabilizar as vendas. Pequenos detalhes como apresentar de forma clara o CNPJ, endereço, e-mail e telefone de contato podem fazer a diferença para conquistar um novo consumidor online.

Como corrigir esse erro

Primeiro, avalie de forma objetiva se o layout da sua loja virtual é adequado ao seu público. Vale muito a pena consultar seus clientes mais próximos sobre esse assunto.

Escolha uma plataforma de e-commerce que permita customização completa do visual da loja. Invista em design profissional e crie uma identidade visual forte e adequada ao seu negócio.

Procure aprimorar constantemente a interface e a usabilidade do seu e-commerce. Lembre-se: você precisa oferecer a melhor experiência de compra aos seus clientes. Então, procure tornar o processo de compra o mais simples e prático possível.

Sobre isso, sempre escuto o questionamento: entre investir pesado em marketing digital ou aprimorar o meu cadastro de produtos, o que eu devo escolher?

Bom… sempre aconselho a conciliar os dois. Porém, começando pelo cadastro de produtor. Vamos ver o por quê.

Se certificar que o título e descrição dos seus produtos estão adequados e completos ajudarão nas buscas e conversões. Além disso, invista em fotos exclusivas e profissionais dos seus produtos. Se você tem dúvidas sobre como fazer isso, leia nosso post sobre como aprimorar o cadastro de produtos.

Outra dica é apostar na produção de conteúdo, item principal do marketing digital. Os consumidores online querem informação. Então, pense em criar um blog e aliá-lo às redes sociais. Pesquise sobre o assunto e saiba como se comunicar com o público de cada mídia. Para te ajudar, baixe o nosso e-book gratuito sobre o tema.

E a acessibilidade? Esse item não pode ser esquecido! Foque em uma loja virtual responsiva. Seu cliente precisa ter a melhor experiência possível também no smartphone ou tablet.

Os e-consumidores estão cada vez mais conectados, até mesmo viciados em smartphones, por isso, o uso de dispositivos mobile para as compras se tornou tendência. Não queira perder vendas porque sua loja virtual não funciona nesses aparelhos.

Finalmente, se tiver dificuldades para implementar as sugestões acima, contrate uma empresa especializada. Acredite: o resultado vai valer a pena, já que a correção de alguns erros fatais do e-commerce pode significar um aumento considerável no seu faturamento mensal.

https://www.bertholdo.com.br/marketing/como-abrir-uma-loja-virtual-magento

2. Produtos com preço ou frete inadequado

Agora que já vimos a importância do design profissional e visual adequado para o sucesso de uma loja virtual, vamos falar sobre o próximo erro fatal: definir o preço dos produtos e o valor do frete de forma inadequada.

Muitos empreendedores e lojistas consideram a definição de preços como tarefa simples ou não tão importante. Esse é um equívoco fatal!

Alguns utilizam uma estratégia bastante simples para precificar os produtos vendidos no e-commerce. Simplesmente usam valores similares aos praticados nos estabelecimentos físicos (pode ser da sua própria loja ou de algum concorrente). Mas será que isso funciona?

Para responder a essa pergunta, sugiro um exercício prático muito simples: visite uma loja física de uma grande rede varejista, como o Ponto Frio ou Ricardo Eletro por exemplo. Escolha três produtos comuns e anote os preços. Visite a loja virtual e verifique se os preços são iguais. Percebeu a diferença?

Grandes nomes utilizam preços distintos para o e-commerce e sua rede de lojas. Por quê?

  • Isso pode ser explicado por vários fatores que afetam a precificação no e-commerce, como:
  • Concorrência
  • Impostos
  • Custo operacional
  • Custo logístico (incluindo frete)

Determinar o preço de um produto é uma tarefa complexa e detalhista, calculado com base em muitos fatores. O objetivo básico da precificação deve ser o aumento do volume de vendas e a geração de lucro.

Muitas lojas virtuais apostam apenas na prática do menor preço como vantagem competitiva. Isso pode levar um e-commerce à falência, principalmente se a precificação for feita de forma inadequada.

Sabemos que o brasileiro, em especial o consumidor online, é muito sensível ao valor final e condições de pagamento. Prova disso é a enorme utilização de ferramentas de comparação de preços e fóruns para divulgação de promoções e cupons de desconto.

Mas não se engane em apenas vender barato. Isso não garante a sobrevivência do seu negócio online. Você precisa garantir a efetiva geração de lucro.

Outro ponto pouco discutido é que preço muito baixo também pode causar outros problemas. Quando o valor é muito diferente da concorrência, o e-consumidor pode suspeitar de fraude e não realizar a compra.

Finalmente, não adianta ter um preço praticável se, no momento de finalizar a compra, o cliente se depara com valor de frete inadequado. Esse é um dos principais motivos para muitos consumidores abandonarem o carrinho de compras.

erros fatais do e-commerce

Como corrigir esses erros fatais do e-commerce?

Antes de qualquer definição, realize uma pesquisa detalhada sobre preço e frete praticados pela concorrência. Além de identificar melhor quem está competindo com seu e-commerce, você poderá definir seu posicionamento no mercado.

Realize um estudo detalhado sobre os fatores que impactam sua precificação. Além dos fatores já citados acima, em uma loja online, você deve verificar também o custo da plataforma de e-commerce e os investimentos em Marketing Digital.

Caso tenha dúvidas sobre precificação para e-commerce, sugiro ler nosso post sobre como calcular o preço de venda de produtos.

Avalie a viabilidade de embutir o valor do frete no preço de determinados produtos. Dessa forma, sua loja oferece frete grátis já contando com uma margem de lucro inserida, de forma a compensar eventuais perdas. Mas cuidado! Essa estratégia não funciona para produtos muito baratos ou com margem de lucro muito apertada.

Outra sugestão interessante é oferecer o frete grátis como recompensa para compras acima de um determinado valor. Essa estratégia ajuda a resolver o abandono de carrinhos e ainda aumenta o ticket médio da sua loja virtual.

Lembre-se: no e-commerce, precificar o produto da forma correta é largar na frente!

Esses são os erros fatais do e-commerce!

Mas cadê os outros três erros fatais do e-commerce? Não eram cinco?

Apresentamos apenas dois erros fatais do e-commerce, e veja, isso já é bastante extenso. Para não deixar esse texto longo demais, decidi falar sobre os outros três no próximo relatório do Criando Oportunidades.

Então, fique ligado nos assuntos que ainda serão abordados:

  • 3. Problemas técnicos
  • 4. Divulgação insuficiente ou incorreta
  • 5. Falha no atendimento e comunicação

Para você não perder nenhuma novidade, quero lhe convidar a assinar, gratuitamente, nossa série Criando Oportunidades. Assim você recebe o melhor conteúdo gratuito sobre e-commerce direto no seu e-mail. Simples e fácil!

Então é isso! Espero que você entenda os dois erros apresentados e fuja deles. Afinal, não queremos que sua loja virtual entre na estatística de mortalidade do e-commerce.

Novamente, peço que avalie esse texto com as estrelinhas abaixo e também que deixe sua opinião sobre nosso conteúdo.

Me ajuda e escreve um comentário (mesmo que seja curtinho)! Isso permite entender se aquilo que estou escrevendo está ou não te auxiliando, além de também saber como você está recebendo esse conteúdo. Se estiver muito chato ou ruim, pode falar sem medo!

Te garanto, eu escrevo com muita dedicação e meu maior desejo é que esse texto seja útil para você. Então, participe! Escreva um comentário!

Continuamos esse assunto no próximo mês (Se quiser continuar lendo, então visite a segunda parte do texto

Caso tenha dúvidas ou precise de ajuda para identificar os erros do seu e-commerce, solicite nosso check-up gratuito. Descubra os erros que não deixam sua loja virtual vender. Não deixe seu negócio quebrar, só depende de você.

Sucesso e prosperidade a todos!

Flávio Augusto Bertholdo

#VamosJuntos

Salvar

(Visited 2.256 times, 8 visits today)