O Mobile Marketing consiste no uso das funcionalidades tecnológicas e do entendimento do comportamento de consumo dos usuários em dispositivos móveis no desenvolvimento e na promoção de estratégias de marketing.

Não podemos tratar o mobile apenas como um canal de divulgação e vendas, pois seus impactos vão muito além da tecnologia propriamente dita. Os hábitos, as preferências e o processo de compra das pessoas mudou radicalmente com a popularização dos smartphones e outros aparelhos eletrônicos. 

Essas mudanças estão fazendo com que empresas de todos os tipos, em especial os e-commerces, corram para atualizar suas plataformas e suas práticas de relacionamento e promoção.

É uma verdadeira revolução na internet e, a seguir, você confere os principais aspectos desse cenário e as medidas obrigatórias para ter sucesso nessa nova era mobile. Confira!

Qual o contexto do mobile marketing e como devemos entendê-lo?

As transformações provocadas pela indústria de dispositivos mobile não são exatamente uma novidade. No Brasil, por exemplo, os celulares são a principal forma de acesso à internet desde o ano de 2017, segundo o CETIC.Br. São mais de 230 milhões de aparelhos em uso, número maior, inclusive, do que o total de habitantes do país.

Esse fenômeno, claro, não é uma exclusividade do Brasil. Empresas do mundo inteiro estão mudando seus processos para se adaptar a esse consumidor que está sempre com o celular nas mãos.

Em relação à produção de conteúdo na internet especificamente, temos o Google como o orquestrador dessas mudanças adotando medidas que, de certa forma, “obrigam” os desenvolvedores a atender uma série de parâmetros voltados para o Mobile Marketing.

Em termos práticos, o tradicional design responsivo não é mais o suficiente. Sites, blogs e lojas virtuais precisam atualizar sua infraestrutura e suas práticas de comunicação para se manterem relevantes nas buscas.

Quais são as principais exigências previstas pelo Mobile Marketing?

Basicamente, seja você um proprietário de um blog, seja o administrador de um e-commerce, dois fatores são essenciais para o seu desempenho nas pesquisas realizadas em dispositivos móveis nos dias de hoje: Google Mobile Friendly e Google Mobile First Index.

Google Mobile Friendly

Muito além de um site responsivo, o Google Mobile Friendly prevê uma versão exclusiva para aparelhos móveis. É uma espécie de layout secundário que exige ajustes especiais no código do site.

Muitas empresas, inclusive, optam por criar um segundo endereço para seus sites mobile geralmente iniciados com um “m” (m.nomedosite.com).

Google Mobile First Index

O Google Mobile First Index é uma regra mais recente estipulada pelo buscador que muda o processo de indexação (adição) de páginas nos resultados de pesquisas.

O que esse parâmetro define é que os novos sites serão adicionados tomando como prioridade a sua versão mobile. Em termos práticos, isso significa que se um site não apresentar uma versão mobile de qualidade, ele pode deixar de ser indexado.

Até o momento, porém, a nova regra só vale para os endereços criados do dia 1º de julho de 2019 em diante. No entanto, tudo indica que a nova determinação em breve valerá para todos e, por isso, é bom se apressar.

Quais são as principais estratégias de Mobile Marketing para e-commerces?

Após providenciar as atualizações necessárias na infraestrutura do seu e-commerce, algumas estratégias de Mobile Marketing podem te ajudar a potencializar os seus resultados com essa novidade. Confira as principais delas a seguir!

1. Conteúdos e soluções instantâneas

O usuário de dispositivos mobile é ansioso e espera por soluções rápidas. Diante desse comportamento característico, as empresas têm a oportunidade de se aproximarem da sua audiência entregando conteúdos e serviços mais práticos ou instantâneos.

Powered by Rock Convert

Em um e-commerce, a primeira melhoria a ser providenciada nesse sentido é a diminuição das etapas entre a chegada do cliente na loja e a compra. Descrições claras e enxutas também são mais interessantes, bem como aplicativos capazes de tornar a experiência mais intuitiva.

2. Indexação no Google Shopping

O Google Shopping é a “aba” do buscador focada na comparação de produtos. Sua maior vantagem, porém, é que em buscas específicas os seus resultados podem surgir no topo das pesquisas.

Esse tipo de indexação é um coringa para as lojas virtuais, uma vez que o Google é o local onde a maioria das pessoas inicia suas compras na internet.

Vários plugins facilitam esse tipo de integração, mas ajustes técnicos podem ser necessários para garantir a perfeita visualização das ofertas.

3. Geolocalização

Uma das tecnologias mais promissoras presentes nos smartphones é a geolocalização. Sites e aplicativos conseguem identificar a posição geográfica dos seus usuários mediante autorização e isso aumenta significativamente as possibilidades de segmentação.

Se você também oferece produtos em um ponto de venda físico, tem muito a se beneficiar cadastrando os dados da sua empresa no Google Meu Negócio. Esta plataforma fará com que seu estabelecimento apareça no topo das buscas realizadas em sua região e também no aplicativo Maps.

No e-commerce, os conteúdos e as funcionalidades do site podem ser alteradas automaticamente de acordo com a localização do acesso tornando a experiência de compra mais personalizada.

4. QR Codes

Os QR Codes surgiram como uma alternativa ao clássico código de barras, mas suas possibilidades são muito maiores. Basicamente, o que esses pequenos códigos fazem é facilitar o acesso a determinados endereços na internet.

Essa, portanto, é uma ótima maneira de integrar ações de divulgação locais ― como outdoors, flyers e cartazes ― e de mídia ― como comerciais na TV e anúncios em jornais ― com seus canais digitais.

5. SMS e MMS

O SMS e o MMS (mensagens multimídia) perderam espaço no mercado com a chegada dos aplicativos de mensagem instantânea. Essa tecnologia, porém, ainda é utilizada como um canal informativo eficiente e com baixo custo.

As lojas online podem se beneficiar desse recurso, por exemplo, enviando dados atualizados de rastreamento de pedidos, uma informação muito solicitada pelos consumidores nos dias de hoje.

6. Buscas por voz

Os assistentes virtuais, como o Google Assistente, Alexia (Amazon) e Siri (Apple), estão cada dia mais precisos e sua popularização é crescente, seja nos smartphones, seja nas smartTVs, eletrodomésticos e assistentes domésticos.

Nesse ambiente hiperconectado, as pesquisas por voz são a grande tendência das buscas. Por isso, a produção de conteúdo e a apresentação de produtos na internet já deve ser pensada levando-se em conta as características desse tipo de interação.

7. Relacionamento em redes sociais

Por fim, temos o relacionamento promovido pelo trabalho de marketing nas redes sociais. Estas plataformas trouxeram uma mudança sem precedentes na interação entre marcas e consumidores: pela primeira vez elas se comunicam literalmente como amigos.

Criar uma presença forte nas mídias sociais é uma maneira de se manter presente na rotina das pessoas e se tornar uma referência em sua área, bem como aumentar as possibilidades de fidelização.

Como você vê, o Mobile Marketing é a nova diretriz para as ações de pesquisa, divulgação e relacionamento das empresas. Todas as informações expostas neste artigo, porém, são apenas o começo de uma grande transformação que já está acontecendo. Como em todos os contextos da tecnologia, são aqueles que se antecipam para as inovações que mais ganham destaque no mercado.

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece no mercado de Marketing Digital e e-commerce? Então nos siga nas redes sociais e acompanhe todas as novidades que publicamos! Esperamos você no Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube!

(Visited 47 times, 1 visits today)
Conheça 7 estratégias de Mobile Marketing para e-commerce Conheça 7 estratégias de Mobile Marketing para e-commerce Conheça 7 estratégias de Mobile Marketing para e-commerce 2020-06-08 16:56:21
5 5 1