Os segredos e dicas do SEO para e-commerce

SEO para e-commerce: aprenda agora os segredos e dicas

O SEO para e-commerce é uma estratégia fundamental para aumentar o tráfego de qualidade. Associado com o PPC, é possível desenvolver campanhas completas para turbinar as vendas.

Você sabia que o número aproximado de lojas virtuais que se encontram ativas no país, de acordo com uma pesquisa realizada em 2015, é de 450 mil? Uma quantidade bastante expressiva e que, se, por um lado, mostra o poder que esse tipo de negócio tem na web brasileira, por outro, escancara o fato da enorme concorrência nesse mercado. Por isso, tanto o SEO quanto o PPC ajudam na estratégia.

Mais do que nunca, pensar no SEO para e-commerce tem sido uma questão de sobrevivência para milhares de empresários que não querem ver o seu investimento indo para o ralo. Mas muitos param na dúvida essencial: como o Google funciona? Vamos ajudá-lo a entender isso de uma vez por todas.

Continue a leitura e descubra como o SEO pode ajudar no crescimento da sua loja virtual e como a estratégia de PPC (custo por clique) é o formato de anúncio que contribui para otimizar os resultados das campanhas. Boa leitura!

Os segredos e dicas do SEO para e-commerce

Como funciona o Google?

O Google é um mecanismo de busca que cresceu por conseguir entregar as melhores respostas aos usuários. Daí, surge o SEO como estratégia para ajudar a oferecer a melhor experiência e rankear páginas. O SEO integrado com o PPC (anúncio pago por clique) é excelente para gerar tráfego.

Em um curto tempo (curto mesmo!), milhares de pesquisas são respondidas pelo Google em segundos. Por isso, é importante entender como esse rankeamento começa.

O Google armazena links. Ele faz isso usando um robô chamado Googlebot, que indexa todas as páginas publicadas na internet. Isso acontece por meio de alguma linkagem que leva para um determinado endereço. Ou seja, para encontrar um domínio, primeiro, é preciso que o link tenha sido apontado.

No início, o principal meio de identificar se um endereço era realmente relevante para a resposta era a quantidade de vezes que o link era mencionado em outras páginas. Daí, surgiu a estratégia de link building.

Então, uma boa estratégia para isso é direcionar seus leitores para outros textos escritos por você. Ou, também, fazer guest posts com sites que têm os mesmos interesses ou uma persona semelhante àquela da sua empresa.

Tenha em mente que se a sua página não trabalhar o link building, será mais difícil se posicionar bem nos resultados do Google. Ainda é preciso ter atenção, pois as regras podem mudar constantemente, e o que era uma boa prática pode se tornar algo malvisto.

Por exemplo, como as linkagens se tornaram uma estratégia para conseguir as primeiras posições do Google, e aquelas feitas externamente (apontadas por outros sites) eram mais relevantes, começaram a surgir empresas que vendiam links. Isso baixou a qualidade das respostas e fez o Google punir empresas que compravam/vendiam links.

Para ajudar, separamos um vídeo (em inglês) em que Matt Cutts, que atua como engenheiro do Google, sendo o responsável pela qualidade dos resultados de busca, detalha, de forma explicativa, como o Google funciona.

Para assistir com legendas em português, acesse aqui.

Como otimizar o SEO para e-commerce?

Bom, agora que você já sabe como o Google organiza a sua busca, vamos às dicas práticas. Afinal, que lugar melhor para aparecer na frente da sua concorrência do que nos resultados do Google, gerando tráfego orgânico de qualidade?

Pensando nisso, listamos 5 dicas fundamentais para quem precisa aprimorar seu SEO para e-commerce, mas ainda tem dúvidas sobre a importância de se pensar em estrutura, usabilidade e, claro, conteúdo para a sua loja virtual. Acompanhe!

Não se esqueça de usar URLs amigáveis

Se o livro que você está vendendo em sua loja não se chama “98727438484”, por que esse é o nome que ele recebe no link para o produto? Ter uma URL amigável — aquela de fácil compreensão, tanto para pessoas quanto para mecanismos de busca — é extremamente importante para fazer com que qualquer página suba dentro do ranking do Google.

Logo, nada de criar URLs como “sualoja.com.br/produto/98727438484”. Use sempre algo como “sualoja.com.br/livros/o-livro-das-criaturas-de-harry-potter”.

Essa é uma das estratégias de SEO on page, ou seja, que estão dentro da sua página e você mesmo consegue alterar.

Entenda que a velocidade do servidor afeta o ranqueamento do Google

Se há um lugar onde tempo realmente é dinheiro, esse lugar é a internet. E o motivo é simples: várias pesquisas já apontaram que o tempo médio que os usuários estão dispostos a esperar pelo carregamento de uma página na web é bem pequeno.

O próprio Google costuma fazer essa análise e fala que menos de 3 segundos é o tempo ideal para carregamento e 6 segundos costuma ser o máximo que um usuário espera para a página carregar por completo. Depois disso, a chance de que o visitante desista de ver o conteúdo antes mesmo de carregá-lo é de mais de 60%.

Por isso, além de a velocidade do servidor ser extremamente importante para a experiência do usuário — algo que, como já mostramos, é essencial para o seu negócio —, saiba que ela também é um ponto decisivo para o rankeamento do seu e-commerce nos resultados do Google.

Não copie o nome do seu produto de outro site

Escreva o nome de cada produto do seu site sem copiar nada. Saiba que os mecanismos de buscas costumam penalizar as páginas em que são encontradas cópias de conteúdo, e isso pode acontecer, até mesmo, devido à reprodução de simples nomes de produtos ou serviços.

Deixe espaço para resenhas dos clientes

Aproximadamente 70% dos usuários que entram em um e-commerce costumam procurar pela opinião de outras pessoas sobre um determinado produto antes de efetuar uma compra. Então, é extremamente interessante já deixar esse espaço de resenha reservado em sua loja virtual.

Mas se esse detalhe ainda não for o suficiente para você, tenha em mente que as resenhas também ajudam a sua página a se manter sempre atualizada. Isso é algo que o Google prioriza (e muito) na hora de escolher quem sobe e quem desce dentro das suas páginas de resultado.

Crie conteúdos para a sua loja virtual

Já que falamos sobre a importância de manter uma página atualizada, é bom lembrar que isso também pode ser feito por meio da criação de um conteúdo exclusivo para a sua loja virtual — pode ser um blog com dicas e opiniões sobre produtos, como vídeos com informações e até infográficos animados com comparações entre modelos de smartphones e TVs, por exemplo.

SEO ou PPC — qual a diferença entre as duas estratégias?

Como falamos no início deste texto, outra oportunidade de gerar tráfego para o seu e-commerce é o PPC (do inglês “pay per click” ou custo por clique). Essa é uma estratégia que usa anúncios nos quais você só paga quando o usuário clica no anúncio e fica, pelo menos, alguns segundos na página de destino.

Com o destaque antes mesmo dos resultados orgânicos de busca, muitas lojas virtuais apostam nesse tipo de anúncio para se destacar em buscadores, como o Google.

Entretanto, é importante entender algumas diferenças entre SEO para e-commerce e PPC:

  • tráfego — enquanto o PPC consegue tráfego rápido alimentando o topo do funil de vendas, as pessoas que chegam por estratégias de SEO costumam ter um perfil mais próximo da persona e gerar resultados em longo prazo, convertendo-se em clientes;
  • investimento — independentemente da campanha, será necessário investir tempo para a produção de textos e conteúdos. Entretanto, no SEO, você não precisa pagar pelos resultados colhidos e, no caso dos anúncios, um valor sempre estará atrelado ao seu retorno (seja por clique para o PPC, seja por visualização e ação em outras situações).

Os segredos e dicas do SEO para e-commerce

TOP 5 erros para evitar ao otimizar SEO para e-commerce

Acima, indicamos as principais boas práticas para elevar o nível de buscas do seu site nos buscadores, principalmente o Google. Agora, chegou o momento dos maiores erros a serem evitados na hora de montar a sua estratégia de SEO:

Não levar a sério a escolha da palavra-chave

A verdade é que o SEO para e-commerce, e qualquer outro texto de blog, principalmente, começa a partir da escolha da palavra-chave. Por isso, no momento da definição, esteja atento para o objetivo do conteúdo e, também, para qual etapa do funil de vendas ele estará direcionado.

Há dois tipos de palavras-chave: as head tail, que são curtas e gerais, utilizadas para topo e meio de funil, e as long tail, que são voltadas para pesquisas de topo de funil.

Geralmente, as long tail levam a mais conversões, já que pessoas que procuram por algo mais específicos estão mais propensas e preparadas para as compras. Porém, a melhor maneira de ter uma estratégia 100% é preparar conteúdos para todos os momentos da jornada dos usuários.

Deixar de preencher a meta description

A meta description é aquele resumo que aparece quando você encontra conteúdos do Google, sabe? Por isso, deixar de preenchê-la faz com que suas chances de rankeamento sejam nulas, acredite.

Além disso, esse resumo deve ser feito adequadamente, indicando o que será encontrado no texto e em até 160 caracteres. Boas estratégias de copywriting são bem-vindas!

Deixar de otimizar as imagens

Tanto para a sua loja virtual, quanto para textos de blog, não é válido apenas escolher imagens bonitas. Para começas, fotos pesadas fazem a sua página demorar a carregar e você perderá pontos nesse momento. O ideal é que elas estejam em, média, 200 KB.

Outra dica de ouro é preencher as tags das imagens. Veja só:

  • Preencha a tag <alt> com um texto que indique o que está na foto, isso para caso a mesma não seja exibida;
  • Para a tag <src>, é indicado que tenha o nome do arquivo de acordo com o a imagem. Nada de deixar nomes aleatórios como “Jpg.1234”.

Não fazer links internos

Esse tipo de prática é chamada linkagem interna e gera muita relevância para os buscadores, inclusive tornando a navegação simples e intuitiva para o usuário, como se houvesse uma árvore de conteúdo dentro da plataforma.

Para isso é bem simples: coloque links, em termos específicos, que levarão o cliente/leitor para outras páginas do seu blog/loja virtual. Ah, e não se esqueça de configurar para que o link seja aberto em nova janela. Mudar a página pode tirar todo o foco do momento.

Links quebrados

É normal que possam surgir links quebrados em seu site, já que são muitos produtos entrando e saindo do estoque e, consequentemente, na loja virtual. Porém, esteja atento para que isso não coloque o SEO para e-commerce em risco.

Uma boa prática é utilizar o redirecionamento 301 para levar o usuário a uma nova página. Para isso, use e abuse da ferramenta ScreamingFrog que poderá te ajudar na identificação do problema.

Qual estratégia usar no e-commerce?

Como explicamos, as duas estratégias são diferentes e conseguem resultados distintos. Por isso, para alimentar o topo do funil e criar um relacionamento entre o seu público e a loja virtual, o ideal é investir em SEO.

Já no caso de ofertas, promoções e períodos sazonais, como as festas de fim de ano e a Black Friday, o ideal é aplicar no PPC também, ampliando a visibilidade dos produtos e aumentando as conversões.

Agora que você já sabe como fazer o seu SEO para e-commerce e a importância que isso tem para colocar a sua loja virtual na frente da concorrência, que tal colocar a mão na massa e começar a otimizar logo o seu negócio? Lembre-se de que o apoio de anúncios pagos, como o PPC, é fundamental para otimizar seus resultados.

Gostou deste conteúdo e quer receber materiais exclusivos sobre e-commerce? Cadastre-se gratuitamente na nossa newsletter e aprenda estratégias exclusivas para aumentar as vendas da sua loja virtual!

Ebook SEO para e-commerce

5/5 - (6 avaliações)

Conteúdos relacionados

Rolar para cima